segunda-feira, 22 de setembro de 2008

MEDO DE PSICANALISTA


No gancho da ponto G...


Também assisti o café literário com a Maitê neste domingo 21 de setembro. Muito interessante. Mas além da fala sobre a mulher, o que mais me chamou a atenção foi quando Maitê tratou das várias capas que nós nos cobrimos. E tentei imaginar em mim essas capas. A gente permite muito isso.

Colocamos caras, bocas, sentimentos em nós mesmos sem querer nos mostrarmos de verdade. Se bem que se nos mostrássemos de verdade entraríamos em conflito com outras pessoas. Caos total, ou de repente não. Nunca se sabe.

Também fiquei com um pouco de medo pela Maitê. Ela estava conversando com um psicanalista. Demonstrar o seu pensamento para ele foi meio teatral no início, mas senti que ela logo se libertou das tantas capas que a vida ajudou colocar em si própria. Fiquei com medo por que ele estava analisando ela. Sei que estava! Eu estava...!

Então pensei: E se fosse eu falando com um psicanalista?

Às vezes me sinto tão normal. Tão racional que sinto medo disso tudo ser uma loucura, sei lá, se sou uma louca sem ter loucuras. Já parei pra pensar nisso sabia???

Melhor um louco com loucuras expostas do que uma louca com loucuras na alma!!!

Pois bem, tenho medo de procurar um psicanalista pra falar sobre isso, medo de encontrar minha verdadeira capa. Tá tão bom debaixo das tantas que me vesti. Não que eu queira enganar pessoas, não é esse o objetivo. Quero ser eu sempre, mas a gente cria capas e pronto.

Algumas amigas já me falaram que é bom. Que você percebe alguns erros em você e tenta corrigi-los, mas e se isso me confundir mais ainda?

E esse negócio de entender a mente é muito perigoso.

E de mexer com ela também. Tenho medo de usar drogas e não conseguir voltar ao normal. Lança perfume nem pensar!

O álcool ainda vai, que já experimentei e sei que volto ao normal, a leitura funde, mas volta ao normal, o sono relaxa, mas depois volta ao normal...

Mas tenho medo de um psicanalista por que ele pode conhecer muito mais de mim mesma do que eu. Isso é por que eu não quero me mostrar. E se eu não quero me mostrar, já criei tantas capas, por que então eu iria num psicanalista?

Pra me descobrir e depois usar capas novamente?

Tenho medo de psicanalista. Acredito que eu preciso ir num primeiro pra me sarar de ter medo, pra depois eu criar coragem de ir em outro para eu me conhecer melhor. Quem sabe eu vá qualquer dia desses.



Faxineira: Marinha do Brasil

5 comentários:

Daida disse...

É verdade! Psicanalista as vezes dá medo. Medo de si mesma Claro!!

É preciso ser muito forte para nça ter capa... ou só trocar as muits por uma só.. sei lá...

22 de setembro de 2008 07:55
ponto G disse...

Marinha do Brasil! Avante! O Jorge estava mesmo analisando ela. Eu acho a terapia importante, porque a gente se descobre. E isso diminui as máscaras. Ou não.

22 de setembro de 2008 09:13
Aquiles disse...

Prezada faxineira Marinha do Brasil,

Sobre o psicanalista e a Maitê, infelizmente não os vi.

mas sobre a Loucura, recomendo para você o texto "Entrevista com a Loucura". Pode lhe ajudar em alguma coisa.

ou não.

22 de setembro de 2008 11:39
Ashen Lady disse...

Estranho como temos medo de descobrir quem realmente somos. Acho que no fundo a gente sempre espera o pior.

22 de setembro de 2008 14:00
tontona disse...

Nada de ter medo. Essa profissao e da alta casta que adora saber da vida alheia. Psicanalistas nada mais sao do que fofoqueiros e otimos ouvintes. Sem medo, no fundo sao como nos, adoram um bafao,rs.

24 de setembro de 2008 11:25