domingo, 28 de setembro de 2008

Banheiro feminino: teste de equilíbrio

Ahhh, a modernidade. Um brinde a tudo que é moderno. Coisas simples do cotidiano se tornaram absolutamente inovadoras e chegaram até, ainda bem, aos banheiros, toiletes, WCs da vida.
Alguns exemplos vanguardistas no banheiro estão no nosso dia-a-dia. Um deles é o assento de papel, feito para salvaguardar mulheres e homens que querem pôr o traseiro (leia-se: popô, bunda, bumbum) no vaso sanitário dividido por milhares de pessoas. Em um bar, eu fico segurando até o último segundo para não ir ao banheiro. Mulher em banheiro público sofre, é preciso malabarismos circenses para se equilibrar e conseguir urinar. Às vezes, seguro tanto, que evito até uma risada mais ousada. Depois de uma boa gargalhada é inevitável uma lágrima escorrer de um outro ponto do corpo.

Os assentos de papel (e de plástico - é... têm uns de plástico que giram no vaso) são muito bons. Uma invenção moderna e simples, igual aos sachês de maionese, catchup e mostarda. Para mim, ir a um WC com assentos é maravilhoso. Outra modernidade está em alguns banheiros orientais. Em Xangai, no aeroporto chinês, a descarga é automática à suspensão do popô. É de levar um susto quando - de repente - antes mesmo de se limpar, a descarga dispara! Mas ainda penso ser o assento mais importante para um banheiro feminino.
Primeiro, porque é impossível se equilibrar por 10 minutos em cima de suas próprias pernas e ainda ter que controlar o jato de xixi. Quando não estou muito disposta, entro naqueles toiletes reservados para deficientes físicos, pois neles há sempre uma barra de ferro na qual a gente pode se segurar e se manter na posição semiagachada sobre o sanitário. Pelo menos uns 100 neurônios devem funcionar, e uns 50 músculos, enquanto uma mulher usa o banheiro público.

Repare:
1) ela segura o peso do corpo sobre as pernas;
2) se estiver de saia, uma das mãos tem que segurá-la e evitar respingos; do contrário, segura a calcinha para evitar que a mesma encoste em qualquer parte do banheiro (argh!);
3) com a outra mão, a mulher procura desesperadamente uma parede para escorar e evitar que o jato atinja a saia a calça ou os pés (ufa!);
4) por fim, mentalmente, a mulher controla o jato de xixi, se for muito leve ela passará pelo menos 30 minutos na posição que é super desconfortável, se for muito forte, ela possivelmente sairá do banheiro como se estivesse sentado em um suco de limão, o ideal é a moderação, oscilar entre forte e fraco.
Não sei como funciona com outras mulheres, mas para mim a depilação interfere diretamente no direcionamento do jato. Para um melhor desempenho em banheiros públicos, sem sujeiras, o melhor é manter "ao natural".
Quero sugerir aos cientistas especializados em banheiros que uma cadeira suspensa seja testada para facilitar a vida das mulheres em banheiros públicos. Na China, em Dubai, na Coréia e também em várias partes desse imenso Brasilzão, há banheiros com um buraco no chão. Assim a mulher apenas se agacha e não precisa se equilibrar. O visual do banheiro não é lá essas coisas, mas as nossas pernas agradecem!

Outra solução, eu li no blog Marketrix. Segundo o blog foi criado o P-Mates, um dispositivo biodegradável que nos permite realizar essa tarefa como os homens, de pé. A invenção é do Canadá. Em alguns bares locais, as placas dos banheiros masculino e feminino foram invertidas. Assim, ao entrar no toilete, a mulher se depararia com o famoso mictório masculino.

Placas de sinalização foram colocadas no chão e nas paredes, acima do mictório, onde também havia amostras do produto. Agora me diz, como é que seria isso?

As fotos são dos sites: Marketrix, Picasa (Gabriela), Cidão entre outros


Faxineira ponto G

4 comentários:

disse...

Eu já vi e já tive a oportunidade de usar o modernoso equipamento que nos permite fazer xixi que nem os homens numa feira de invenções. É um cone de papel plastificaco, com uma das bordas mais longas, pra gente encaixar entre as pernas. Funciona! Mas é estranho de usar... tive a impressão que estava fazendo xixi no lugar errado.

28 de setembro de 2008 06:15
tontona disse...

Eita nois! So quem tem uma perereca sabe o que e usar um toilet...mas as dicas sao bacanas e as empresas e paises precisam se modernizar e nos dar o maximo de conforto possivel na hora dos jatos ureticos. Na Grecia por exemplo, alem da higiene, basta aperta o pe do lado esquerdo do vaso e la vai se tudo....

28 de setembro de 2008 10:20
Aquiles disse...

O post foi esclarecedor. Não tinha idéia precisa do quão malabaristas são as mulheres no quesito 'dar uma mijada'.

Que bom que a tecnologia está a vosso favor.

28 de setembro de 2008 13:12
Criska disse...

Eu sempre achei que a função dos pêlos pubianos fosse unicamente direcionar o xixi a favor da gravidade.

28 de setembro de 2008 15:48