domingo, 7 de junho de 2009

Sobre sábados de faxina


Não adianta, sábado para mim é dia de faxina. E eu fico muito mal humorada quando tenho que faxinar a casa e tem alguém ali, rondando, pisando com seus pés molhados, sujos e grandes.

Sempre foi assim. Quando morava com meus pais, pedia que todos deixassem a casa aos sábados e me irritava que, sempre quando eu limpava a cozinha, alguém tinha sede e lá ia-se embora todo meu esforço. Agora, morando junto, há muitos mais elementos irritantes numa faxina.

O primeiro fator é que por mais que seu namorido, marido, companheiro - ou seja o que for - seja dedicado a te ajudar, ele de fato não entende de limpar coisas. Acho que não entende e não gosta. Então, por mais que enquanto você sua igual a um cuzcuz para se abaixar suficientemente a ponto de alcançar aquela sujeirinha lá embaixo da cama, ele grite da sala: "quer ajuda?", ele está apenas sendo gentil, não se engane.

E se você diz, "quero sim, amor, você pode limpar o chão da cozinha enquanto lavo a área?" Você pode se arrepender, não por maldade, mas simplesmente faxina não é a deles.

Eles não têm esse costume e vão fazer meio por cima, e eu sou super exigente. Tenho um problema sério de faxina inacabada, ou mal feita. Odeio.

Outro ponto que precisa ser colocado é que, durante a faxina, que ele evite nos tocar. A gente está suja, suada e com a roupa menos sexy do planeta: short de cotton, camiseta qualquer de propaganda política ou de alguma promoção de loja, e o cabelo horrendo. Apesar da faxineira Lady Dy ter dado sugestões sexys, é preciso optar em ser sensual e ter a casa limpa de fato. Num sábado de tarde, eu fico com a segunda opção. Isso me lembra uma fase da minha vida quando eu jogava handbol, e vinha toda suada dos treinos. Era nesse momento que eu era mais cantada. Vai entender a cabeça masculina. O fetiche por faxineiras de short de cotton e blusa de campanha eleitoral é fato.

Como você não inclui seu homem nas tarefas da faxina e nem cede aos apelos dele para aproveitarem o sábado de uma maneira, bem, digamos mais sensual: ele dorme (creio que faria o mesmo). Mas você fica enfurecida. Afinal, você está dando um duro danado na casa enquanto o bonitão tira o sono da beleza. Para se vingar, limpa toda a casa, vai ao salão, fica linda e não cede aos caprichos por mais algum tempo: põe a culpa na escova que fez ou nas unhas que estão recém-pintadas.

Homens podem sofrer nos outros dias, mas no sábado o sofrimento é todo feminino, até quando a faxina é na gente mesma a dor não é minimizada, cutículas, depilação e escova são dolorosas também. É preciso muita habilidade para ser faxineira e ainda não se irritar.

Faxineira ponto G

1 comentários:

Marinha do Brasil disse...

Mulheres são heroínas... a minha avó é uma heroína, a minha mãe é uma heroína, minha irmã e eu somos heroínas...suportamos dores, faxinas e ainda somos belas para encantar a todos... se algum dia os homens entenderem que devem tudo às mulheres os mundo seria menos caótico...

18 de junho de 2009 05:54